top of page

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

Banner_site_novos_planos.png
GVP-0040-24_INFORMES-REGULARES-JULHO_RMR_728X90 (3).gif
Cabeçalho Blog Marcelo Jorge Okay.jpg

Deltan, ex-Procurador da ‘Lava Jato’ teve o mandato cassado. Juiz "afagado" por Lula presidiu sessão

Em poucos minutos o TSE em Brasília derrubou por votação unânime o entendimento da justiça de Curitiba, que havia ratificado a vitória do parlamentar. Deltan obteve votação recorde no estado. Ele foi um dos responsáveis pela prisão de dezenas de corruptos investigados no âmbito da emblemática Operação Lava Jato.

Por decisão do Tribunal Superior Eleitoral, em uma sessão rápida realizada nesta terça-feira (16) e presidida pelo Ministro Benedito Gonçalves, que recentemente recebeu publicamente afagos do Presidente Lula (imagem acima), o agora ex-parlamentar deve deixar imediatamente o cargo.


Em suas mídias sociais, Dallagnol escreveu:  “344.917 mil vozes paranaenses e de milhões de brasileiros foram caladas nesta noite com uma única canetada, ao arrepio da lei e da Justiça. Meu sentimento é de indignação com a vingança sem precedentes que está em curso no Brasil contra os agentes da lei que ousaram combater a corrupção. Mas nenhum obstáculo vai me impedir de continuar a lutar pelo meu propósito de vida de servir a Deus e ao povo brasileiro”.

Já o partido de Deltan, Podemos, publicou uma nota após o veredito da corte eleitoral:

NOTA DO PODEMOS

O Brasil e o parlamento nacional perdem com a decisão que o TSE tomou na noite desta terça-feira (16), que alterou o entendimento do TRE-PR, cassando o mandato do deputado federal Deltan Dallagnol. 

A expressiva votação que o ex-chefe da Operação Lava Jato obteve nas urnas, de mais de 344 mil votos, corresponde à massiva aprovação popular de sua atuação no combate à corrupção e em defesa da sociedade brasileira.

O Podemos se solidariza com o parlamentar e não poupará esforços na avaliação de medidas que ainda podem ser tomadas pela defesa de Dallagnol.

Podemos

0 comentário

Comments


bottom of page