https://d1uzdx1j6g4d0a.cloudfront.net/players/topo/18/62916?identifier=www.radiobrasilnordeste.com&source=1377
 
CARD GRANJA ALMEIDA MAI2022.png
DUO_BANNER HORIZONTAL.jpg

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

Em discurso lido, LULA diz que em um possível novo governo do PT, não haveria espaço para DILMA

O ex-presidente petista fez o lançamento da sua pré-campanha na tarde deste sábado, com direito a releitura do seu jingle eleitoral. Seu discurso, diferentemente dos anteriores, foi lido
Foto: Reuters/ Carla Carniel/ Direitos reservados

Foi lançada na tarde deste sábado (07) oficialmente, pelo Partido dos Trabalhadores – PT, a pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva com o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), como vice, para concorrer à Presidência da República nas eleições de 2022.

Além de Alckmin, que participou virtualmente por estar com covid-19, estiveram presentes lideranças dos partidos que apoiam a candidatura, como PCdoB, Solidariedade, PSOL, PV e Rede, além de centrais sindicais, movimentos sociais, artistas, influenciadores e a militância dos partidos. O movimento foi denominado Vamos Juntos Pelo Brasil.

Alckmin falou por vídeo de casa e disse que “nenhuma divergência do passado, nenhuma diferença do presente nem as disputas de ontem e nem as eventuais discordâncias futuras serão motivos para que ele deixe de apoiar e defender com toda a convicção a volta de Lula à presidência”. "É com muito orgulho que faço isso com respaldo, confiança e participação do meu partido”, disse.

Em seu discurso, comentando sobre a ex-presidente Dilma Rousseff, Lula descartou a possibilidade da mesma assumir algum cargo relevante em um suposto novo governo petista: "A grandeza da nossa colega de Partido jamais caberia em um ministério!", declarou o agora pré-candidato.

Ainda segundo o ex-presidente, durante seu governo o diálogo foi a marca registrada, com abertura para a sociedade civil junto aos ministérios. "Vamos ter que fazer isso novamente e para isso apresento o imenso legado do nosso governo. Fizemos muito, mas tenho consciência de que ainda é preciso e possível fazer muito mais".


COLIGAÇÃO

O PT, PCdoB e PV formaram uma federação partidária para disputar a eleição de 2022. Já o PSB, partido de Alckmin, Solidariedade, Rede e Psol formaram uma coligação com os petistas. Na federação partidária, as siglas ficam unidas ao longo de quatro anos em âmbito nacional, estadual e municipal e são equiparadas a partidos políticos e os partidos precisam ficar na federação por, pelo menos, quatro anos ou sofrem punições. A coligação tem natureza eleitoral e se extingue após as eleições.

Nas coligações, os partidos só podem se coligar para lançar candidatos para as eleições majoritárias (prefeito, governador, senador e presidente da República). Para as eleições proporcionais (vereador, deputado estadual, deputado distrital e deputado federal), é possível formar a federação.
0 comentário