top of page

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

Banner_site_novos_planos.png
GOV_0040_24_INFORMES-REGULARES-JUNHO_RMR_728X90 (1).gif
Cabeçalho Blog Marcelo Jorge Okay.jpg

Em nota, Fernando Rodolfo rebate críticas sobre sua postura perante falecimento do genitor

O parlamentar federal pernambucano, natural de Garanhuns, cumpre sua segunda legislatura em Brasília. Na última segunda-feira dia 18/7 recebeu a notícia do falecimento do seu pai biológico, com o qual teve pouca convivência, prestando no entanto, toda a assistência aos funerais.
Fernando Rodolfo (esq), esteve no velório do pai Carlos Fernando até a meia noite do dia 18, quando voltou à Brasilia

Em nota à imprensa, emitida na tarde desta quarta-feira (20), o Deputado federal Fernando Rodolfo (PL-PE), se diz indignado em razão de críticas e Fake News difundidas nas mídias sociais sobre sua postura perante o falecimento do seu genitor biológico, comunicador Carlos Fernando (veja matéria clicando AQUI).


Leia a íntegra da nota, abaixo:


NOTA À IMPRENSA


Desde o início desta semana, tenho sido perseguido por setores da sociedade e da imprensa por ter pautado um projeto de lei que trata sobre o casamento homoafetivo na Comissão da Família, que presido com orgulho.


Quem me conhece sabe os meus valores e a responsabilidade que tenho em tudo o que assumo, tanto é que tive a confiança do meu partido para exercer tal função.


Aceito as críticas e estou pronto para o debate. No entanto, tudo tem um limite. No último domingo (17), meu pai biológico, que já enfrentava um sério problema de saúde, faleceu.


A bem da verdade, conheci o meu pai quando tinha 13 anos de idade e nunca compartilhamos de qualquer proximidade familiar. Porém, quando soube do seu estado de saúde, o procurei e levei minha solidariedade. Nesta última semana, ao tomar conhecimento da sua internação, cancelei minhas atividades em Brasília e me ausentei das votações no plenário para acompanhar de perto seu estado de saúde, ficando ao seu lado até o último dia de vida. No dia do falecimento, estive presente em seu velório até a madrugada.


De consciência tranquila, e tendo prestado as devidas homenagens, segui para Brasília para conduzir os trabalhos da comissão.


De forma desrespeitosa, e sobretudo desonesta, tenho sido atacado por pessoas e grupos que não têm conhecimento de minha vida e das humilhações que já passei.


Em respeito aos meus filhos, à minha família e à minha história, registro a minha indignação com o que estão tentando fazer e reitero que não abro mão das minhas convicções e não serei intimidado.


O que está em questão não é o falecimento do meu pai, e sim a minha postura como presidente da comissão.


Fernando Rodolfo

Deputado federal

0 comentário

Comments


bottom of page