https://d1uzdx1j6g4d0a.cloudfront.net/players/topo/18/62916?identifier=www.radiobrasilnordeste.com&source=1377
 
CARD GRANJA ALMEIDA MAI2022.png
DUO_BANNER HORIZONTAL.jpg

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

EXCLUSIVO: Matador do Vice-Prefeito planejava execução de um advogado e um empresário de Canhotinho

As investigações da Polícia Civil, após a prisão do suposto homicida, apontam para a premeditação de mais dois outros homicídios que não foram executados

Mais um desdobramento do caso que vem estarrecendo o município de Canhotinho no agreste de Pernambuco. Após a elucidação e prisão de Erick Barbosa, acusado de ter assassinado de forma bárbara e covarde o próprio pai, à época vice-prefeito Erinaldo Santos em 2020, mais uma terrível trama veio à tona.

O fato que supostamente levou o filho assassino (foto) ao crime foi a ambição: Após a venda de um bem, seu pai Erinaldo pagou alguns débitos pessoais e com o restante iniciou a reforma em uma casa recém adquirida, não repassando nenhum valor ao filho, o que do ponto de vista jurídico é sustentável, já que em vida não existe a obrigação da partilha de bens ou herança com futuros herdeiros.

Além disso, o pai também estimulou o filho a buscar um trabalho, o que provavelmente enfureceu ainda mais o assassino.


POLÍCIA DESVENDA TRAMA DIABÓLICA

As diligências conduzidas pela Policia Civil com apoio da PM, foram fundamentais para a resolução do caso.

Após sua prisão, através da eficiente e bem articulada equipe do Delegado de Polícia Civil, Dr. Helianthus Bezerra, após incansável investigação e no decorrer de oitivas posteriores, as autoridades tiveram acesso ao teor de ligações telefônicas de Erick Barbosa.

Em uma delas ficou clara a intenção do criminoso em executar um advogado e um empresário de Canhotinho.

Após a revelação desse sinistro plano ao seu pai, Erinaldo (foto), Erick não obteve o apoio do genitor, este que tempos depois veio a ser executado pelo filho.

Segundo as autoridades policiais esta descoberta, apesar de não ter tido tempo hábil para ser colocada em prática em razão do homicídio contra o pai, coloca maior gravidade na situação do detento Erick, já que denota de forma clara sua índole perversa de matar seja quem for, por mais que não houvesse motivo.

Em razão do caso estar preservado pelo denominado ‘segredo de justiça’, os nomes dos alvos que poderiam se tornar também as próximas vítimas do assassino ainda estão mantidas em sigilo.

0 comentário