https://d1uzdx1j6g4d0a.cloudfront.net/players/topo/18/62916?identifier=www.radiobrasilnordeste.com&source=1377
 
MARCELO JORGE - BANNER SEGURANÇA-728X90PX.png
CARD GRANJA ALMEIDA MAI2022.png

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

GARANHUNS: Reaproximação de SILVINO com SIVALDO pode estremecer relações com aliados de 1ª hora

Mesmo a cooptação de novos aliados sendo um gesto necessário, o mundo político é um universo que tem sua linguagem e gestos específicos. O ciúme político é um deles.
O ciúme do político não se dirige apenas e nem principalmente contra seus adversários e inimigos. Para estes, há barreiras que impedem e bloqueiam o relacionamento. Os alvos mais perigosos são os aliados, os membros do mesmo partido ou coligação, que, embora compartilhem um projeto político comum, possuem os seus projetos individuais.

Em Garanhuns, às vésperas de uma eleição que promete ser uma das mais acirradas, com ataques previstos de todos os lados, a recente reaproximação do ex-prefeito Silvino Duarte (PTB) do atual prefeito e aliado de tempos antigos, Sivaldo Albino (PSB), certamente acende um sinal de alerta dentro do grupo: Lideranças e políticos dentre estes o também ex-prefeito Bartolomeu Quidute, arqui-inimigo de Silvino e também alguns colaboradores da atual gestão, vem apresentando resistência em ‘digerir’ a presença do recém chegado médico que há pouco mais de um ano era o principal adversário do grupo socialista em Garanhuns e até então tinha o apoio do ex-prefeito Izaias Régis (PSDB), também considerado arqui-inimigo do grupo dominante.


Aguardaremos as próximas cenas desse novo capítulo.

Parafraseando Francisco Ferraz, professor de Ciência Política na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, “No mundo da política, um dos sentimentos mais fortes com o qual tem que se lidar é o ciúme. Políticos são seres territoriais, competitivos, ambiciosos, aquisitivos e treinados para a luta. Como tal, são inevitavelmente insatisfeitos e inseguros. Amam, odeiam, esquecem, desprezam, bajulam, brigam e se reconciliam com enorme facilidade e frequência. Políticos, além de tudo o mais, são territoriais e possessivos.”

0 comentário