top of page

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

Banner_site_novos_planos.png
GVP-0040-24_INFORMES-REGULARES-JUNHO_RMR_728X90.gif
Cabeçalho Blog Marcelo Jorge Okay.jpg

LUTO: Patrimônio Vivo de Pernambuco, Gonzaga de Garanhuns deixa lacuna na vida artística do estado

O artista, querido no município e em todo o estado, faleceu no início da tarde desta sexta-feira (16) no Hospital Regional Dom Moura em Garanhuns, onde ficou internado em estado grave durante 12 dias, após ser encontrado caído em casa. Segundo os médicos, ele foi vítima de um AVC hemorrágico
Foto: Divulgação

Faleceu aos 79 anos, após doze dias de internação o artista popular Gonzaga de Garanhuns. Amplamente conhecido em todo o estado por sua animação e participação em um grupo de reisado que já se apresentou em importantes eventos em Garanhuns, dentre estes diversas edições do Festival de Inverno e nas primeiras edições do Garanhuns Jazz Festival, Gonzaga havia sido encontrado por familiares desacordado, no dia 04 de junho em sua casa.

Socorrido, teve diagnóstico de AVC-h (Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico). O mestre encontrava-se internado no Hospital Regional Dom Moura onde aconteceu o óbito.

Atualmente, chegando aos 80 anos, o mestre de reisado e cordelista, que foi agraciado com o título de ‘Patrimônio Vivo de Pernambuco’ pelo Governo do Estado conduzia o Espaço Cultural de Gonzaga de Garanhuns, uma iniciativa do artista ao lado do filho, Clodoaldo Lima. O espaço fica no número 1417 da Rua da Liberdade, no bairro de Heliópolis.
Foto: Caio Pessoa

O Espaço Cultural de Gonzaga de Garanhuns possui uma exposição de grande parte dos cordéis do artista, incluindo o primeiro (Lampião e Serrinha, de 1973) até aqueles que foram traduzidos para o holandês e espanhol. Também estão lá as peças feitas para a folia de reis e uma sala para exibir vídeos educativos sobre essas manifestações.

“Seu” Gonzaga, como era carinhosamente conhecido, sempre lutou pela cultura em Garanhuns. Ele começou no reisado em 1955, ainda garoto, motivado pelo reisado da zona rural da cidade. O mestre foi levando isso à frente e conheceu outros mestres que lhe ensinaram um pouco mais do ofício.

Gonzaga tinha 47 anos produzindo literatura de cordel, sendo autor de cerca de 350 títulos. Essas duas linguagens são destaques da região interiorana.


A informação da sua morte foi confirmada pelos familiares que o acompanhavam nesta luta pela vida. Ainda não foram divulgados detalhes sobre local de velório e nem horário do sepultamento.

0 comentário

Comments


bottom of page