MARCO MACIEL: Em tempos de tensão e intolerância, política perde um dos mais conciliadores nomes

O pernambucano ocupou importantes cargos na cena política do estado e do país e sempre marcou suas gestões e mandatos legislativos pela serenidade e coerência aos seus ideais.

A triste notícia dá um tom cinza a esta manhã de sábado, 12 de junho.

Os brasileiros que admiravam o estilo sereno e conciliador de fazer política em um país marcado hoje por tantas diferenças, certamente sentirão a falta de Marco Antônio Maciel, Advogado e professor, e que na política foi deputado, governador de Pernambuco, senador, ministro-chefe do Gabinete Civil da Presidência da República e vice-presidente da República de 1995 a 2003, no governo Fernando Henrique Cardoso.


Em sua honrosa carreira, Maciel sempre fiel aos amigos e aos seus ideais democráticos, deixando o legado do homem que tinha uma visão de futuro e mais além.

Em Garanhuns, um dos seus grandes aliados e amigo é o Dr. José Tinoco Machado de Albuquerque, médico, empresário e ex parlamentar constituinte. A família do Dr. Tinoco, dentre estes a Deputada Estadual Priscila Krause e seu pai, ex governador e ex Ministro Gustavo Krause, são admiradores e muito próximas do já saudoso Marco Maciel.

Alguns podiam até não gostar do estilo ou seguir outra ideologia, mas Marco Maciel era uma das poucas unanimidades na política. Não haviam desafetos do ex-governador que sempre foi conhecido pelo seu jeito calmo, discreto, de poucas palavras. Além do mais, nunca teve seu nome envolvido em escândalo ou qualquer menção duvidosa.


Marco Maciel estava internado em um hospital de Brasília, onde morava, em razão de complicações do Mal de Alzheimer, que o acometia desde 2014.

Deixa a mulher Anna Maria e três filhos. Ainda não há informações do velório e sepultamento.

0 comentário