https://d1uzdx1j6g4d0a.cloudfront.net/players/topo/18/62916?identifier=www.radiobrasilnordeste.com&source=1377
top of page
CARD GRANJA ALMEIDA OUT2022.png
DUO_BANNER HORIZONTAL.jpg

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

Banner Quinze ate 31Out.jpg
Banner_site_novos_planos.png

Políticos pernambucanos repudiam atos violentos com depredação de patrimônio público na Esplanada

Após a violência das manifestações ocorridas neste domingo no Distrito Federal, diversos agentes políticos de todo o país utilizarem suas mídias sociais para repudiarem de forma veemente os atos hostis contra o patrimônio público
EVARISTO SA / AFP

Foi intensa a repercussão das violentas manifestações, transmitidas inicialmente pelas mídias sociais e na sequência pela imprensa brasileira e internacional, sobre os atos terroristas ocorridos na Capital Federal.

Diversos agentes políticos pernambucanos, desde a governadora Raquel Lyra (PSDB) e sua vice, Priscila Krause (Cidadania), até parlamentares federais como Lucas Ramos (PSB) e estaduais do agreste, à exemplo de Débora Almeida (PSDB) e Izaías Régis - também pertencente à legenda tucana - além do ex-prefeito de Petrolina e ex-candidato a Governador, Miguel Coelho (UB), deixaram de lado posições ideológicas e foram unânimes nas suas posturas democráticas mas antiviolência:

A ação violenta teve como alvo principal, prédios públicos e emblemáticos como o Congresso Nacional, onde ficam localizados o Senado e a Câmara dos Deputados; o Palácio do Planalto, local de trabalho da presidência da República e o STFSupremo Tribunal Federal, a Côrte máxima do país, sede do judiciário.

Os edifícios tiveram suas instalações externas e internas, atingidas de forma violenta.

BOLSONARO SE MANIFESTA PELAS SUAS REDES

Acusado pelo atual presidente Lula de ser um dos mentores dos atos violentos, o ex-gestor Jair Bolsonaro (PL), que está nos Estados Unidos desde o último dia de 2022, também utilizou suas mídias sociais para repudiar o vandalismo: "Depredações e invasões de prédios públicos, como ocorridos no dia de hoje, assim como os praticados pela equerda em 2013 e 2017, fogem à regra.". Ele também rechaçou as acusações do presidente Lula, que indiretamente o responsabilizou pelos atos ocorridos.

MEDIDAS FEDERAIS - No início da noite, o Presidente Lula (PT) anunciou em entrevista coletiva estado de Intervenção no Distrito Federal. O gestor acusou servidores comandados pelo Governador Ibanez Rocha de terem sido “Coniventes com os manifestantes” e promete “Rigor na identificação e punição de envolvidos”. Ainda na noite de domingo, o Ministro da Justiça, Flávio Dino, concedeu também uma coletiva onde falou para jornalistas sobre o que já foi apurado pelos órgãos de Inteligência até aquele momento.


0 comentário
bottom of page