https://d1uzdx1j6g4d0a.cloudfront.net/players/topo/18/62916?identifier=www.radiobrasilnordeste.com&source=1377
 
MARCELO JORGE - BANNER SEGURANÇA-728X90PX.png
CARD GRANJA ALMEIDA MAI2022.png

É permitida a transcrição total ou parcial das matérias deste blog, DESDE QUE CITADA A FONTE

'TER TENDÊNCIA ÀS ALTURAS' não basta: GARANHUNS só decola com LEGÍTIMA representação legislativa

Com um amplo colégio eleitoral, o município polo do Agreste Meridional tem votos suficientes para eleger mais de um representante local para ALEPE, principalmente em razão dos ‘votos flutuantes’ dados a ‘políticos paraquedistas’.
*Por Marcelo Jorge

Quando o Monge beneditino Dom Paulo idealizou a bandeira de Garanhuns e instituiu na mesma o lema “Ad altiore tender” (ter tendencia às alturas), deu um mote para que o município pudesse levar adiante, literalmente, esta bandeira.

Mas se a tendência nunca for desenvolvida, ela pode atrofiar...

Com um potencial de 91.317 eleitores, segundo dados dos TRE-PE, o próprio eleitorado do charmoso município localizado a pouco mais de 230 quilômetros da capital Recife e tendo cerca de 25 municípios do seu entorno que ajudam a movimentar e fortalecer o mercado, economia e vida social local, tem possibilidades de definir com folga sua representatividade na Assembleia Legislativa de Pernambuco – ALEPE.


Mesmo levando em conta o índice de abstenção eleitoral e votos não válidos em Garanhuns que nas recentes eleições municipais de 2020 por exemplo, foi de 21,45%, equivalente a 19.486 cidadãos e cidadãs que deixaram de votar nas seções eleitorais do município, seja por falta de interesse, motivos pessoais justificados ou em razão da pandemia do Covid-19, ainda há sufrágios suficientes para a eleição de mais de um representante estadual e pelo menos um Federal.


Ainda se detendo no caso específico de Garanhuns, 71.355 eleitores (78,55%) compareceram e sufragaram seus votos para prefeito, sendo que destes 4.062(5,69%), anularam enquanto 2.743 (3,85%) votaram em branco.

Para vereador, o número de votos anulados foi menor: 2.665 (ou 3,73%) anularam seu voto para o parlamento municipal e 2.300 (3,23%), votaram em branco. Isso demonstra que cada eleição tem características especificas e o cargo postulado – Executivo ou Legislativo - também define um maior ou menor interesse do eleitorado.


ELEIÇÕES 2018

Em 2018, quando os garanhuenses também foram às urnas para escolherem Presidente, Governador, senadores, deputados estaduais e federais, já tínhamos condições de eleger mais de um representante local, para cada destes últimos cargos.

Infelizmente o que prevaleceu foi a pulverização causada pela ‘oferta’ de muitos candidatos sem afinidade com o município, mas que conseguiram apoio de vereadores locais e com isso, reduziram as possibilidades de termos uma representação legítima.

Nesse pleito, o atual prefeito Sivaldo Albino - PSB - (Foto) concorrendo a uma vaga na ALEPE obteve 18.256 votos, insuficientes para sua eleição, mas conseguindo uma 1ª suplência no seu partido e sendo posteriormente alçado à titularidade em razão de movimento político do Governador Paulo Câmara, que trouxe ao secretariado o Deputado Rodrigo Novaes (PSD), abrindo desta forma vaga para Albino.

Já para Deputado Federal, Garanhuns sufragou 10.727 votos (18,18%) ao filho da terra, jornalista Fernando Rodolfo (PL). À época, o majoritário no município foi João Campos (PSB) com 12.427 votos, que recebeu também a maior votação no estado de Pernambuco, vindo este no entanto pouco tempo depois a abandonar o cargo para concorrer a sua eleição vitoriosa à prefeitura do Recife.

ELEIÇÕES 2022

Nesta perspectiva, com a manutenção do veto às coligações partidárias e semelhantemente ao restante do país, Garanhuns terá oportunidade de focar em candidatos que tenham afinidade e compromisso real com o município e suas demandas. Sem a possibilidade dos partidos se juntarem para somar votos, certamente haverá uma queda no número de partidos representados nas casas legislativas dos estados e também na câmaras federal, mantendo no jogo os partidos mais robustos e de maior representatividade política.

Com essa leitura, a depender do trabalho de comunicação a ser feito, mostrando suas ações efetivas com liberação de emendas para o município e região, a pauta em defesa dos precatórios para professores, da duplicação da BR-423 e em favor da segurança pública, o Deputado Federal Fernando Rodolfo (Foto), deve assistir um crescimento da sua votação em sua cidade natal. Outros parlamentares de fora terão que criar em tempo recorde uma base sólida no município, já que com o fortalecimento e maior amplitude das Mídias Sociais que ganharam força durante a pandemia, os eleitores estão mais atentos a movimentação dos pré-candidatos e seu desempenho.

Em termos estaduais, Garanhuns pode - ou pelo menos deveria - eleger 02 deputados estaduais, de preferência com perfis antagônicos para que, semelhantemente a Caruaru, a disputa entre estes por fazer mais, beneficiasse a população de forma homogênea. Em pesquisas internas - as chamadas ‘para consumo próprio - , as legendas começam a destacar pré-candidatos com maior potencial e intenção de votos.

De modo ainda incipiente, colocam-se como pré candidatos localmente o ex-prefeito Izaías Régis (filiando-se nesta próxima sexta-feira 29 ao PSDB), o ex vereador Zaqueu Naum Lins (PL); o Oficial da Reserva da PMPE, Coronel Marcos Campos (PSL) e ainda o jovem advogado Cayo Albino (PSB), Secretário Geral da CODEAM, debutante na política e filho do prefeito de Garanhuns, Sivaldo Rodrigues Albino. Mais nomes, também de outros espectros, certamente surgirão.
Com a palavra em 2022, o povo de Garanhuns...

0 comentário